Por Raquel Cruz Xavier

25/07/2017

Como viabilizar financeiramente sua operação de telefonia

O primeiro desafio de uma empresa quando entra no setor de telefonia é criar uma operação que seja financeiramente viável. Antes de começar a faturar, a companhia precisa adquirir diversos equipamentos, como gateways de interconexão e um softswitch confiável.

O tamanho da operação a ser construída depende muito do mercado alvo. Porém, esse investimento inicial é obrigatório”, explica Rafael Nahid, Consultor Comercial da Khomp.

 

Financiamento de equipamentos

Uma opção para conseguir capital para este investimento é o cartão BNDES, que já contamos em outro post e você pode relembrar clicando aqui. Essa modalidade possui juros mais baixos em relação aos bancos comuns e é voltada para micro, pequenas e médias empresas.

Outra linha de financiamento, exclusiva para empresas brasileiras foi lançada recentemente pelo Finep, voltada para a aquisição de equipamentos 100% nacionais. O Programa de Apoio à Aquisição Inovadora em Empresas de Telecomunicações exige que as tecnologias a serem adquiridas sejam reconhecidas como Bens Desenvolvidos no País pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)*.

 

Construção da operação de telefonia

Com as ferramentas em mãos, qual o próximo passo? “Uma rede de dados estável e com boa largura de banda é indispensável na hora de montar uma operação de telefonia”, conta o Gerente de Produto da Khomp, Ricardo Vieira.

Isso porque a capacidade na transmissão de dados é fundamental para assegurar que as ligações não ficarão picotadas ou caindo a todo momento. “Garantir a qualidade do serviço é o primeiro passo na busca dessa excelência”, completa.

Outro aspecto importante a considerar é que a implantação da infraestrutura pode ser faseada. Para isso é necessário buscar equipamentos que possuam a premissa de escalabilidade tanto na ponta, próximos aos clientes finais, como no core, realizando a interconexão e encaminhamento das chamadas.

Exemplos desses equipamentos são os Media Gateways Khomp, que podem processar mais de 10 mil chamadas simultâneas, mesmo que iniciando com somente 10; e nas pontas, a linha KAP com capacidade de 2 ou 8 chamadas simultâneas. Com 10 mil chamadas simultâneas e ticket médio de 5 minutos (tempo de duração de cada uma dessas chamadas), é possível atender até 120 mil assinantes*.


Não conhece a linha KAP?
O lançamento da linha de ATAs da Khomp foi na última edição da feira Netcom! No pré-show, a Khomp transmitiu uma webinar com este e outros lançamentos apresentados na feira. Assista aqui.


 

Atenção aos custos e conhecimento

Apesar de essenciais, os passos acima sozinhos não formam uma receita de sucesso: é preciso analisar bem o mercado a ser atendido. Mensurar o tamanho da operação para analisar com cautela os investimentos iniciais sem prejudicar a qualidade do serviço oferecido se faz necessário. “Com a demanda de minutos bem desenhada, fica mais fácil dimensionar o tamanho da operação e o retorno que ela pode dar”, detalha Nahid.

Ricardo Vieira completa este raciocínio lembrando a importância do conhecimento técnico para atingir o sucesso. “Entender um pouco além do básico em telefonia ajuda bastante nessa hora. Em todos os mercados se você não conhecer bem o produto pode se dar mal, com telefonia não é diferente”.

 


A Khomp tem linhas completas de produtos e também especialistas preparados para mapear e solucionar as necessidades da sua operação de telefonia. Entre em contato para mais informações com os Consultores Comerciais da Khomp.


 

Referências:
* Saiba mais sobre este programa de financiamento em http://www.finep.gov.br/apoio-e-financiamento-externa/programas-e-linhas/telecom
** Para este resultado foi calculada taxa de bloqueio a 0,8%. Saiba mais sobre como realizar este cálculo em http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialerlang
Facebook Twitter Linkedin