Por Guilherme Rosa

05/10/2017

Mercado de IoT é destaque do Futurecom 2017

Acompanhando o Futurecom 2017 você percebe que o mercado Internet das Coisas (IoT) é o destaque do evento. O segmento está com um pavilhão exclusivo para soluções dessa tecnologia, bem como tours explicando as inovações na área, painéis, palestras… Enfim, a programação sobre o tema é vasta.

Gateway IoT Khomp já está no mercado, na indústria da saúde

Lançamento do ITG 200 para mercado IoT no Futurecom – Khomp

 

A Khomp é peça dessa engrenagem, atuando num importante mercado: o de saúde. Com a solução desenvolvida em conjunto com a Sensorweb, diversos hospitais e clínicas no Brasil poderão fazer o monitoramento de temperatura e umidade de insumos perecíveis.

 “A solução conjunta do gateway Khomp com os sensores sem fio da Sensorweb auxilia no controle e estabilidade de câmaras frias, estufas, freezers e demais ambientes que necessitam manter a temperatura estável para evitar a perda ou degradação de materiais depositados nestes locais”, explica Denis Schneider, Diretor de Projetos da Khomp.

O gateway ITG 200 fabricado pela Khomp recebe as informações dos sensores de temperatura e de abertura das portas das câmaras frias utilizando uma rede sem fio ZigBee. Depois, retransmite pela internet fixa ou por uma conexão de dados 3G. A solução completa de gestão de temperatura é desenvolvida e comercializada pela Sensorweb.

 

Segurança é setor em evidência no mercado IoT

Neste início de instalação de dispositivos IoT, o mercado de segurança é o que aparece mais na frente. Câmeras, portões, porteiros eletrônicos, alarmes e detectores de movimento estão entre as aplicações neste setor que já funcionam com internet.

 


Conheça o Mobile Intercom 101 da Khomp. Um porteiro que toca a campainha da sua casa direto no seu celular. Saiba mais aqui. 


 

Porém, o futuro indica que as cidades inteligentes serão o próximo grande passo no mercado IoT. “Outros setores importantes são: agronegócio, hospitais, manufaturas, escolas, serviços públicos, marketing, logística e tudo mais que tiver ganho em um controle centralizado”, conta Giancarlo Macedo, CEO da Khomp.

Os desafios para atender este mercado são muitos. Para suportar diferentes meios físicos de conectividade e uma variedade de protocolos, os dispositivos precisam ter multi-tecnologia. “É importante também a regulação, alocação e controle das frequências para o uso em IoT”, completa Macedo.

Apesar dos inúmeros desafios a serem superados, a Khomp entra no mercado IoT com bastante confiança e acreditando em crescimento rápido da demanda. “Acreditamos que as aplicação serão feitas por empresas pequenas que conhecem a necessidade dos consumidores e são especializadas em desenvolvimento de software . É neste ambiente que apostamos como fornecedor de hardware, com gateways e rede de sensores adaptados às aplicações e que possam rodar qualquer solução”, finaliza o CEO.

 


Acompanhe a nossa cobertura completa do Futurecom 2017 aqui!


 

Facebook Twitter Linkedin