Por Ícaro Guimarães

06/06/2019

Khomp for You Florianópolis – Cidades digitais, IoT na prática e o futuro dos serviços de Telecom. Veja como foi!

O Khomp for You é um evento que serve de termômetro das novidades no campo das Telecomunicações e Internet das Coisas. O formato recente foi criado pela Khomp para atender uma demanda de profissionais que carecia de conteúdos exclusivos, que equilibrassem características técnicas com um olhar estratégico de aplicabilidade no mercado brasileiro.  Em sua segunda edição no último dia 23/05, em Florianópolis, o encontrou contou com duas trilhas, palestras e painéis com reflexões interessantes sobre inovação.

 

Internet das Coisas já é realidade brasileira

O dia começou com a trilha IoT, Internet das coisas. Logo de manhã, às 9h00, viam-se empresários, desenvolvedores e projetistas animados com o tema e com as possibilidades de fazer uma releitura dos seus serviços/produtos utilizando a tecnologia ou identificar novas formas de ampliar a receita.

Em pauta, toda a topologia típica que envolve uma arquitetura IoT: dos sensores, endpoints, gateways e broker, até o usuário final. Os participantes conheceram de perto a Linha IoT Khomp e presenciaram cases interessantes, como a nova revolução que os dispositivos têm causado no agronegócio (equipamento medindo espessura de galhos, por exemplo) e nas cidades, com projetos que unem sensores, semáforos, central de chamadas e ambulâncias – criando uma rota inteligente onde sinais são fechados de acordo com o trajeto necessário. Modelo que nos aproxima do tão sonhado conceito de Smart City.

 

Aliás, Florianópolis é uma smart city?

O final da primeira trilha foi marcado pelo painel “Futuro do IoT” que trouxe para a conversa o Marcus Rocha, superintendente de ciência, tecnologia e inovação da Prefeitura de Florianópolis. Ao pontuar os esforços do setor público em acompanhar os avanços tecnológicos, ele reforçou que o modelo de cidade digital já é uma realidade na capital catarinense e que o próximo passo é embarcar o “smart”, a  inteligência que faz os processos conversarem entre si. Mas o cenário é promissor: de acordo com o Rocha, o setor de tecnologia continua sendo a principal forma de faturamento da cidade, ultrapassando o turismo.

O painel passou ainda por temas como os “Desafios para os empreendedores”, com o Roger Medke, autor do livro Transformação Digital Disruptiva,  falando que a maior dificuldade para quem deseja comercializar uma solução completa de IoT é vender o resultado, mostrar o benefício para que o cliente seja também um entusiasta.

Encerrando o encontro, Arthur Ribeiro, Head de Marketing da ARQIA, levantou uma interessante perspectiva, muitas vezes esquecida: “criatividade, mapeamento de processos e design de serviços são habilidades humanas que servirão de combustível para todas as inovações discutidas”.

Painel IoT Khomp For You Florianópolis

Painel “O futuro do IoT”: da esquerda à direita: Jeremias Neves da Silva, Roger Medke, Marcos Rocha e Arthur Ribeiro.

 

Telecom e o reaproveitamento das coisas

Na trilha da tarde, Rafael Nahid, Consultor Comercial da Khomp, iniciou dizendo que o novo desafio do segmento de Telecom é pensar em reaproveitamento das coisas – expressão que define as ações de ampliar e inovar serviços sem descartar a infraestrutura existente.

Com esse objetivo em mente, a trilha seguiu apresentando os benefícios de uma arquitetura híbrida TDM, SIP e estrutura Cloud, mostrando produtos como o UMG, que realiza a integração de PABX legado a redes IP.

Outro destaque da tarde foi o momento focado em SBC. Ygor Voltolini, gerente Comercial Latinoamérica da Khomp,  expôs detalhadamente todas as funcionalidades que um SBC precisa ter, como a ferramenta se tornou indispensável principalmente pela proteção contra ataques a rede de voz IP e como usá-lo corretamente para proteção desta.

 

Khomp for You Florianópolis resgata o debate sobre o futuro da voz

Intitulado de “O Futuro das Telecomunicações”, o segundo e último painel do dia teve a presença do Rafael Sens, gerente regional na Flex Contact Centers, Rodrigo Pinto, gerente de desenvolvimento de produtos na Ayty Tech, e do Rodrigo Lorega, wholesale manager na Datora.

Um dos pontos altos do debate foi a discussão sobre a possibilidade dos serviços de voz caírem em desuso. Sens defendeu que ainda é muito cedo para levar essa afirmação como verdade absoluta. “90% dos contact centers ainda trabalham com voz e a mudança tem um custo alto”. Lorega complementou que o mecanismo por trás das ligações é que vai se tornar cada vez menos invasivos,  tendo o inside sales como ferramenta para essa melhora na experiência. Por fim, Rodrigo Pinto alertou que precisamos abrir os olhos para as coisas novas que estão chegando. “O RSC, por exemplo, é padrão de mensagens criado pelo Google em conjunto com operadoras de telefonia brasileiras para substituir de vez o SMS. Isso deve chacoalhar o ecossistema”.

Painel Telecom Khom For You Florianópolis

Painel “O futuro das telecomunicações”: da esquerda para a direita: Rafael Sens, Rodrigo Pinto e Rodrigo Lorega.

 

Facebook Twitter Linkedin