Por Raquel Xavier

23/08/2018

Futurecom 2018: quais as oportunidades de negócio para ISPs a partir da tecnologia LTE?

oportunidades de negócio para ISPs no Futurecom 2018

Como adiantamos no primeiro artigo sobre a participação da Khomp no Futurecom 2018, um dos destaques da Khomp no evento será o portfólio para o fornecimento de internet 4G (LTE). Com isso em mente, quais as oportunidades de negócio para ISPs (provedores de internet independentes) que apostam nessa tecnologia?

“A facilidade de provisão e instalação dos equipamentos (frente às necessidades de internet via fibra) é o principal trunfo desse modelo, que só se limita à imaginação do empreendedor”, afirma Rafael Nahid, Consultor Comercial da Khomp.

 

Setor público e ações de marketing

O executivo conta que o mais usual é pensar na aplicação da tecnologia LTE para distribuir internet fixa para cidades carentes de infraestrutura em fibra. “Porém, há oportunidades também nas principais capitais. Imagine, por exemplo, as concessionárias de ônibus urbano interessadas em prover acesso aos passageiros. Ou hotspots para locais públicos, como praças, feiras e eventos promovidos pelas prefeituras”, sugere.

Nesta linha, trabalhar produtos específicos para agências de live marketing e promoção de eventos também são bons caminhos. “Imagine festivais de música, como o Tomorrowland Brasil, realizados longe de centros urbanos. Para esse público, o acesso à internet é fundamental, tanto para a comodidade dos participantes como para comunicação e ações promocionais durante a festa”, exemplifica.

Expandindo essa ideia, a lógica se aplica também à cobertura 4G de congressos, eventos esportivos, entre outros encontros que demandem uma solução prática e eficaz para o provisionamento deste serviço.

 

Agronegócio e mineração

Como evidenciado na cobertura da Abrint, a tecnologia 4G (LTE) também é indicada para a distribuição de internet em áreas rurais, que tendem a ter pouca (ou nenhuma) cobertura das redes de fibra óptica.

“Quando traduzimos esse cenário para unidades de agronegócio, o leque de possibilidades vai desde estabelecer um meio de comunicação eficiente até a gestão de ferramentas de Internet das Coisas (IoT)”, evidencia Nahid.

A distância dos grandes centros também se transforma em oportunidade quando se pensa em projetos de Energia, Mineração, Petróleo e Gás, cada vez mais dependentes da internet para a utilização de recursos relacionados à indústria 4.0.

“A construção de uma hidrelétrica, por exemplo, pode se beneficiar muito de uma comunicação mais eficiente a partir de aplicativos de smartphones capazes de fazer a gestão e atualizar, em tempo real, dados sobre a obra”, explica.

 

Na rota para o Futurecom 2018

Gostaria de trabalhar em alguns destes projetos com a Khomp? Visite o estande da Khomp no Futurecom 2018, que ocorre em São Paulo, capital, entre os dias 15 e 18 de outubro.

E acompanhe, nas próximas semanas, mais detalhes sobre a participação da Khomp nesta que é a maior feira de tecnologia da América Latina! Assine a news da Khomp aqui e siga-nos no Facebook, LinkedIn, Twitter para não perder!

 

Facebook Twitter Google + Linkedin
  • Glauco Ligeiro

    Essas e muitas outras oportunidades virão com o LTE. A tecnologia é eficiente, versátil, robusta e tem escala suficiente para se sustentar como a melhor opção de acesso sem fio. Além disso sua evolução não para – basta ver o roadmap dos releases dos protocolos LTE rumo ao 5G. É realmente um Long Term Evolution e está mudando a maneira do mundo se conectar.